Governo promove ações para famílias beneficiadas pelo programa Pró-Moradia

Para atender as famílias beneficiadas pelo Programa Pró-Moradia, o Governo do Tocantins, por meio da Secretaria de Estado das Cidades, Habitação e Desenvolvimento Regional (Secihd), vem desenvolvendo ações voltadas para a sustentabilidade e o bem-estar das comunidades alocadas nos empreendimentos habitacionais. 

Nessa quarta-feira, 7, a equipe do trabalho social promoveu uma palestra sobre Direitos e Deveres sociais e convivência comunitária, ministrada pelo professor João Bazolli da Universidade Federal do Tocantins (UFT). A reunião ocorreu na Escola Cívico Militar Maria dos Reis Alves Barros, no setor Taquari, em Palmas.

Durante a palestra, o professor João Bazolli ressaltou a relevância de relações harmoniosas entre os moradores do empreendimento habitacional, com orientações práticas sobre como resolver conflitos de maneira construtiva, visando à criação de um ambiente saudável para todos. E, como sugestão, propôs ainda uma parceria entre a secretaria e a instituição na criação de grupos acadêmicos para atuar na resolução de conflitos de convivência.

“Temos uma disciplina que fala de meios alternativos e, lá, eu estruturo um conflito simulado e passo para os alunos resolverem. Então, na verdade, com esta proposta, a gente passa a ter algo real para que eles possam trabalhar. E somado a isso, a Secihd [ Secretaria de Estado das Cidades, Habitação e Desenvolvimento Regional] consegue monitorar e ter um indicador, inclusive, de resultados”, enfatizou o professor.

A diretora de Programas de Programas e Projetos Sociais e Habitacionais da Secihd, Cassilda Figueiras, acolheu a sugestão do professor como uma estratégia bastante positiva.

“A gente acolhe muito bem essa sugestão do professor em relação a criar grupos de resolução de conflitos. Há muitas situações de conflito que não precisam chegar ao ponto de judicializar, podendo partir para o diálogo e o entendimento das partes”, explicou.

Cassilda enfatizou ainda o papel desempenhado para além da entrega das casas, com ações de mobilização e organização comunitária, geração de trabalho e renda, bem como educação sanitária e ambiental.

“São três eixos cruciais para o desenvolvimento sustentável das comunidades atendidas, conforme delineado no projeto aprovado em parceria com a Caixa Econômica Federal e o Governo Federal. E essas atividades têm como objetivo cumprir a obrigação do Estado em acompanhar de perto as famílias alocadas nos empreendimentos, promovendo a sustentabilidade local e reduzindo o risco de desvio do uso das moradias para fins não residenciais”, destacou.

O superintendente de Habitação, João Campos, ressalta a importância das visitas de avaliação de pós-ocupação, realizadas pela equipe, para compreender as mudanças na vida dos cidadãos após receberem as unidades habitacionais.

“Essas visitas permitem avaliar a adequação das moradias, a satisfação com os serviços essenciais como água e energia, e a qualidade da convivência com os vizinhos. Por meio desse acompanhamento contínuo, o Estado busca garantir que as condições de moradia promovam efetivamente o bem-estar e o desenvolvimento das famílias beneficiadas”, explicou.

Pró-Moradia

Em Palmas, o programa Pró-Moradia beneficiou 132 famílias com unidades habitacionais, no setor Taquari, sendo a entrega realizada em duas etapas, a primeira em janeiro e a segunda em outubro. E, além da entrega das moradias, o programa se destaca pela inclusão de um trabalho social abrangente, visando ao fortalecimento comunitário das famílias beneficiárias.

Felizes com a realização da casa própria, o casal Denilton Gomes Soares, auxiliar de produção, e Maria da Paz Gama de Sousa, diarista, participam ativamente das atividades propostas. Para a moradora, a casa e todo o acompanhamento do Governo do Tocantins têm sido uma benção para a sua família.

“E participar dessas reuniões só tem a acrescentar na nossa convivência aqui no Taquari. Temos recebido todo apoio que a gente precisa aqui”, enfatizou.

Leia também

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais