Apenas duas cidades não fizeram adesão à lei Paul Gustavo

Com o término do prazo para adesão à Lei Paulo Gustavo (Lei Complementar n° 195, de 8 de julho de 2022) nessa terça-feira, 11, quase 100% dos municípios tocantinenses tiveram o seu plano de ação cadastrado na plataforma TransfereGov, para análise do Ministério da Cultura (MinC). Com o cadastramento da documentação e após análise do MinC, os gestores culturais podem assinar o termo de adesão, para, assim, receberem os recursos da lei, que destina R$ 16 milhões para os municípios tocantinenses.

Até a última consulta, dos 139 municípios do Estado, 111 já tiveram o seu plano autorizado, 16 (11,51%) estavam em análise e dez (7,19%), em fase de complementação. Apenas os municípios de Santa Terezinha e Santa Rita não cadastraram o documento. O envio do plano de ação é uma etapa imprescindível para o recebimento dos recursos, que deverão ser repassados para o setor cultural por meio de editais públicos.

O Tocantins foi um dos quatro primeiros estados a receber os recursos disponibilizados pelo Ministério da Cultura (MinC), que consistem em mais de R$ 41 milhões em investimentos, dos quais R$ 25,5 milhões são para gestão exclusiva do Estado e R$ 16 milhões para gestão dos municípios. Para incentivar a adesão dos municípios à lei, a Secretaria de Estado da Cultura (Secult) realizou, em parceria com o Ministério da Cultura, a oficina Circula MinC, além de intensificar a divulgação e os chamamentos na imprensa e nas redes sociais. A Secult também atuou em parceria com a Escola do Legislativo na mobilização das Câmaras Municipais e a Associação Tocantinense dos Municípios (ATM) na mobilização dos prefeitos.

“Colocamos toda a estrutura da Secretaria da Cultura para mobilizar os prefeitos e conscientizá-los da importância de cada município aderir à Lei Paulo Gustavo, pois cada centavo destinado ao Tocantins é importante e fará a diferença na reconstrução da cena cultural do Estado”, avalia o secretário Tião Pinheiro, que destaca também a relevante atuação do coordenador do MinC no Tocantins, Cícero Belém, e de agentes culturais que, nos últimos dias de prazo, colocaram-se pessoalmente à disposição das prefeituras para orientar e auxiliar no cadastro dos planos.

De acordo com o Ministério da Cultura, todos os 27 estados e quase 100% dos 5.570 municípios brasileiros apresentaram propostas de projetos culturais para receber os recursos da lei. São R$ 3,8 bilhões reservados para manifestações culturais e artísticas em todo o país, buscando democratizar o acesso à cultura.

“A Lei Paulo Gustavo é um instrumento de resgate do incentivo à cultura no Brasil, depois de anos de desmonte. Estamos reconstruindo uma política séria para a cultura brasileira, com geração de empregos e crescimento do nosso país”, afirmou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em seu perfil no Twitter.

Informações importantes aos municípios cadastrados

No Diário Oficial da União (DOU) publicado na manhã desta quarta-feira, 12, o Governo Federal informa que os municípios em fase de complementação ou que ainda não tenham assinado o termo de adesão à lei, mesmo com seu plano de ação já cadastrado e/ou autorizado, devem se atentar aos prazos estabelecidos para finalização do processo.

De acordo com o documento, planos que tenham recebido ou venham a receber o pedido de complementação, devem concluí-lo até o dia 17 de julho, com o prazo final para assinatura do termo de adesão até o dia 26. Os municípios que assinarem o termo entre os dias 12 e 26 de julho deverão receber seus recursos até 15 de agosto. Os entes federativos que não assinarem até a data prevista não estarão aptos para o recebimento dos recursos. 

Leia também

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais